Monday, February 13, 2006

Pastiche de S. Valentim

À atenção da minha dama, e apesar de saber que o combinado era
ela dedicar-se às partes líricas e eu às partes gagas, arrisco transgredir, votando-lhe, como prova de meu afecto e boa vontade, esta pequena homenagem, inspirada num gerador, redigida com comprovado método, e aproveitando uma ou outra coisa do post inaugural deste blogue - mas desde já avisando que o não faço por ser mandado e que quanto mais me pressionam tanto pior.




É esparsa a Pimenta do Reino
Circunscrita à medida duma mão
Que distende ao molde – a Massa –
Elástica respira e, subtil, evola
Sápido – breve amargo – o travo
A Céu exige o Celibato

E a Mistura pede Tempo a iludir
O promíscuo Pigmento – a Nódoa –
De gordura, doce sobre o Verso
– Dizem – do Recibo ou da Receita
Onde uma Linha poluída –

Indelével Aceite – a Poesia –

Percurso de Redacção / Linha Vermelha: Oriente - C. Ruivo - Olivais - Chelas - Bela Vista - Olaias - Alameda / Linha Verde: Alameda - Areeiro - Roma - Alvalade - Campo Grande / Linha Amarela: Campo Grande - Cidade Universitária

2 comments:

125_azul said...

ahhhhh! Um alfinete desobediente e resmunção, mas que não espeta, "cutuca" sua dama com posts românticos! Ainda bem que estou feliz e também tenho um alfinete amoroso, a inveja não é um sentimento bonito. Dia feliz aos dois

125_azul said...

era RESMUNGÃO, sorry

Blog Archive

Contributors