Saturday, March 18, 2006

Esta noite



Não há cá fitas.
Enquanto a Dama se recolhe ao leito com a Adrienne, eu resigno-me a ouvir no meu discman o "Ser Solidário" do ZM Branco, cuja faixa oitava ("o que eu andei pr'aqui chegar, tra la") sempre tem algo em comum com o título supra-afixado dessa gaja por quem sou preterido.
Retomaremos a Plath oportunamente, para evitar misturas com biopics lacrimogéneos.

1 comment:

Mr. D said...

Ena, ena! Isto agora está azulinho. Cansou-se do rosinha?

Vi ontem o filme 'Sylvia' pela primeira (e será a última) vez. Achei a sua classsificação do filme certeira: um biopic lacrimogéneo (se bem que o adjectivo 'lacrimejante' tb me agrade.) Era de esperar uma coisa assim.

O meu primo, que está aqui ao lado, perguntou-me se os poemas da gaja eram bons, porque não ficou com essa ideia a partir do filme. Bom, tendo em conta o filme, fiquei eu com a ideia de que ela escrevia poesia, ok!, mas o que mais interessa em Plath é mesmo a sua biografia.

É o iconezinho a sobrepor-se à obra. Déjà-vu.

Blog Archive

Contributors