Monday, September 01, 2008

Rentrée

Este é da madrugada de hoje. Parte vem da Hélia Correia. Demorou meses.

FEITICISMO

É verdade que quando eu contigo
me inclinava o mundo por instantes
recuava. Entreguei-me a ti aberta
como nunca porque querias ver-me,
e já então pelos teus olhos eu

gozava. Quando, pois, te evaporaste
com uma assombrosa fixidez
mandei o espírito buscar-te o corpo
e amar nele e tornar-se um outro
que atravessava as tuas mulheres.

Investi a crueza que evitei
connosco: saciei-me assim de início
marcando até algumas, contra
a evidência de que entre dois
o mais violento não tem testemunhas.

Tanto me apliquei que cheguei a crer
que tu retribuías. Iludi-me
na complacência de, tomando outros,
me devolver também a ti. Porém,
foi-me custando mais a cada vez

voltar. Mergulhei, esqueci aos poucos
onde, entre este e aquele, arquejei
no engodo que chamei de nosso amor;
e raro sinto que ouça tua boca
resfolegar por sobre minha pele.
.

1 comment:

Elsa said...

Muito bom este poema, amiga! E que lanche!

Blog Archive

Contributors